A pedagogia do Natal


TEXTO: Lucas 2:1-20

INTRODUÇÃO
No final de ano,  trazendo em nossas bagagens, algumas tristezas, mas também alegrias. É momento de se fazer uma reflexão do ano que se passou e um novo projeto de vida para o ano que logo se inicia. No entanto, para que este processo não se minimize em algo passageiro, precisamos realizar uma breve reflexão sobre a importância do Natal. Num ato de garimpagem, buscando extrair ricas lições do texto ora escolhido, analisemos estas palavras que se referem ao nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo.

TÓPICOS
1a Verdade: Existem pessoas cheias de muitas coisas a ponto de não ter lugar para Jesus nascer (v.7) - Vivemos em um mundo materialista, onde se ama as coisas e se usa as pessoas. Consequentemente, desencadeia-se a busca de muitos bens a ponto de não terem espaço para Deus nos seus corações. Aprendemos aqui, a necessidade de termos um coração sensível para Jesus.

2a Verdade: Mesmo com a grande gama de resistência das pessoas, Jesus ainda consegue nascer nos corações abertos (v.7) - Mesmo diante das hospedarias cheias, Jesus encontrou um local humilde e simples para nascer. E hoje em dia, este fato continua acontecendo, mesmo diante de uma humanidade abarrotada do materialismo e busca de seu bel prazer, Jesus ainda encontra corações humildes, dispostos a deixá-lo nascer.

3a Verdade: É tempo de vigiar como os pastores (v.8) - E assim foram cheios da Glória de Deus, pois estavam atentos aos sinais do Filho de Deus. Muitos são os sinais que revelam as maravilhas do Menino Jesus e a sua Palavra. Aprendemos que Jesus continua de manifestando e comunicando com seu povo.

4a Verdade: Jesus nasceu à noite, quando menos esperavam - Entendemos que o tempo que vivemos é de densas trevas espirituais, no qual a sociedade vive na escuridão com seu entendimento entenebrecido. Porém, mesmo diante desta cruel realidade, Jesus ainda deseja nascer nos corações. No entanto, ele retornará como ladrão, quando menos esperam. Não deixe que as negras nuvens do pecado ceguem seus olhos de enxergar Jesus.

5a Verdade: Jesus foi agasalhado com panos, para revelar que o importante é o tesouro interior, não o exterior (v.7) - Jesus não deixou de ser Filho de Deus por vestir-se de forma simples. Assim, aprendamos a valorizar os valores espirituais em detrimentos dos terrenos, visando tudo que é santo e abominando tudo que é profano. Se você não tem o bem material que tanto deseja, isso não te faz inferior a ninguém, desde que obtenha o maior tesouro, Jesus.

6a Verdade: É tempo de ofertarmos as primícias para Jesus (Mt 2:11)
·         Ouro=bens (coloquemos nossos bens a disposição de Deus e da sua obra);
·       Incenso=oração, adoração (não nos esqueçamos da vida de oração e adoração que tanto glorifica a Deus);
·      Mirra=sacrifício de uma vida santificada (paguemos o preço que for para nos mantermos em santidade e comunhão com Deus. Deus almeja levantar vozes proféticas para este século).
Os magos deram um grande exemplo, pois trouxeram Ouro, Incenso e Mirra.
           
7a Verdade: É tempo de louvar a Deus (v.13 e v.20)
·         - Os magos do oriente vieram adorar (Mt 2:2,11);
·        -  Os anjos os louvaram (Lc 2:10-11);
·         - Os pastores o louvaram (Lc 2:20);
·         - Simeão agradeceu a Deus por ter visto o Salvador (Lc 2:29-30);
·         - Ana deu graças a Deus pelo menino (Lc 2:38).

8a Verdade: Jesus nasceu em Belém (v15)
·         - Ele nasceu em Belém, porque Belém significa “casa do pão”;
·         - Ele nasceu em Belém, porque é o Pão da Vida;
·         - Ele nasceu em Belém, porque veio para saciar o faminto;
·         - Ele nasceu em Belém, para nos servir a mesa do banquete.
- João 6:33: “Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo.”
- João 6:35:  “E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.”

9a Verdade: O nascimento de Jesus é um divisor de águas
·         Indiscutivelmente, quando atentamos para o calendário, percebemos este divisor de águas, o antes e depois de Jesus. Percebemos também que, na vida de quem Jesus nasce, há uma transformação plena e definitiva. E percebemos que ninguém pode negar a importância do Cristo na História.

Assim, Jesus nos ensina que:
1.    Seu nascimento é uma lição de humildade;
2.    Sua vida é uma lição de amor altruísta;
3.    Sua morte é uma lição de sacrifício abnegado;
4.    Sua história é uma lição de modelo no tempo e na eternidade.

Além disso, Jesus numa manjedoura (estábulo) nos faz reconhecer (v.16):
1.    Que sem Deus a vida cheira mal;
2.    Que mesmo nascendo entre animais, não se tornou semelhante a eles;
3.    Que Jesus nos ama, a ponto de passar o que passou;
4.    Que nós só achamos significado para nossas vidas em Deus. Seres insignificantes se tornam significativos;
5.    Que saber essas coisas não traz nenhum benefício para mim, a não ser que Jesus possa nascer e renascer em meu coração todos os dias da minha vida;
6.    Que cabe a mim e a você fazer dos locais que nós nascemos ou vivemos o melhor possível, mesmo que este ambiente pareça nefasto;
7.    Que Ele desceu a terra para que pudéssemos subir ao céu; que Ele nasceu na manjedoura para nos fazer herdar a eternidade; que Ele se fez homem para que pudéssemos habitar com o Pai; que se despiu da glória, para que pudéssemos recebê-la; que habitou entre o mau cheiro para que tivéssemos o aroma suave de Cristo e para que soubéssemos que independente do ambiente e das condições que estamos hoje (assim como ele esteve um dia),  temos uma promessa para toda a eternidade de vida e paz.


CONCLUSÃO

Não se esqueça do verdadeiro significado do Natal. Não em perca entre as luzes, músicas e comidas. Permita que Jesus, o verdadeira sentido do natal, tenha condições de renascer em seu coração, a cada dia. 

Ivan Tadeu Panicio Junior

COMPARTILHAR
Anterior
Proxima